Ameaça da variante indiana faz Chapecó criar barreira no aeroporto

Objetivo da barreira sanitária é monitorar a chegada dos voos com passageiros de São Paulo e Florianópolis


Por Catanduvas Online

31/05/2021 14:34



img


Com a chegada da variante indiana, essa chamada de variante B.1.617.2, e o aumento de casos de coronavírus em alguns estados do Brasil, o Município de Chapecó decidiu retomar as ações de monitoramento no Aeroporto Serafim Enoss Bertaso, o maior do Oeste catarinense.

 

Nesta segunda-feira (31), o gerente da Vigilância em Saúde, Rodrigo Momoli, a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Lilian Galão, e o coordenador da Vigilância Sanitária, Maycon Benetti, estiveram reunidos com a equipe de gestão do aeródromo e com os bombeiros.

 

“A partir de terça-feira (1º) estaremos diariamente, pela manhã, fazendo a aferição de temperatura dos passageiros que chegam em Chapecó, com o objetivo de manter sob controle a situação da pandemia em nossa cidade”, disse Momoli.

 

O objetivo foi organizar uma barreira sanitária na chegada dos voos da Latam, de São Paulo, da Azul, de Campinas e Florianópolis, e da Gol, de São Paulo. 

 

“A partir de terça-feira (1º) estaremos diariamente, pela manhã, fazendo a aferição de temperatura dos passageiros que chegam em Chapecó, com o objetivo de manter sob controle a situação da pandemia em nossa cidade”, disse Momoli.

 

Quem estiver com a temperatura acima do normal será convidado a realizar um atendimento com a Unidade Móvel, que é uma equipe médica para consulta e testagem. Outra medida é que não será mais permitido aos familiares de passageiros o acesso à área interna do terminal.

 

Quem estiver com a temperatura acima do normal será convidado a realizar um atendimento com a Unidade Móvel, que é uma equipe médica para consulta e testagem. Outra medida é que não será mais permitido aos familiares de passageiros o acesso à área interna do terminal.

 


MEPITA ?>

 

Com informações ND+