Câmara procura Bradesco para melhorar atendimento e estuda medidas devido à negativa do Banco

Atraso no atendimento é contrário ao Código de Defesa do Consumidor, enfatiza a casa.


Por Catanduvas Online

30/07/2019 16:36



img


Após procurar o Banco Bradesco enviando ofícios para as agências de Joaçaba e de Catanduvas, questionando sobre a demora excessiva no atendimento e a possibilidade de melhorias, já que a instituição conta com apenas uma funcionária para atendimento no caixa, a Câmara recebeu uma resposta oficial por parte do Banco.

 

No ofício, o Banco Bradesco salienta que que o estabelecimento contido no Município é apenas um Posto de Atendimento para facilitar as transações bancárias de menor complexidade dos moradores locais, porém a agência de Joaçaba foi programada para suportar a demanda dos dois municípios.

 

A Câmara ainda questionou em seus ofícios que o atraso no atendimento é contrário ao Código de Defesa do Consumidor que determina que o cliente seja atendido dentro de um limite de tempo razoável, além de também violar o contido na Lei Municipal n. 2400 de 03 de Junho de 2013 a qual prevê o prazo máximo de vinte minutos em dias normais e trinta minutos em dias precedentes ou posteriores a feriados prolongados. Sobre isso, o Bradesco afirmou que “pela livre iniciativa, deve-se permitir que o agente econômico formule sua estratégia de atuação no mercado livremente” e que “a legislação municipal, ao impor condutas às agências bancárias [...] extrapola – em muito, a sua função de promover a defesa do consumidor”.

 

Diante da negativa da instituição em providenciar uma melhoria em seu atendimento, os vereadores debateram na noite de segunda-feira quais as medidas devem ser tomadas.

 

A vereadora Monalisa Ruaro afirmou que os vereadores foram procurados pela população, insatisfeita com o atendimento precário do Bradesco.

 

“As pessoas ficam uma hora e meia lá e as vezes chegam e está fechado. E eles responderam que nós não temos nada a ver com isso e que não estão preocupados com os clientes do banco”. Monalisa ainda pontuou que considera a atitude do banco como uma “falta de respeito”.

 

O vereador Odair Gabrielli (Shazan) também criticou a resposta da Instituição.

 

“Temos uma lei no Município que exige que eles cumpram essas medidas. Não é assim como eles querem. Precisamos investigar e cobrar”.

 

O vereador André Atz (Deco) destacou o fato das longas filas que acabam se formando no banco.

 

“A população tem que ficar ciente da resposta do Bradesco. Em dias de horário de pico a situação é muito complicada. Você vê idosos, pessoas de necessidades especiais esperando fora da agência”. Ele também classificou a resposta como infeliz, principalmente pelo fato do Banco Bradesco ter disponibilidade financeira para realizar as mudanças.

 

Por fim, o vereador Cristiano Begnini sugeriu uma medida.

 

“Acho que se todos concordam poderíamos mandar um ofício para o Executivo para que aumente a fiscalização ou tente aumentar para averiguar e constatar as queixas”. 

 

O vereador Deco foi além e pediu que o ofício também seja encaminhado para a ALESC (Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina) para que a Câmara possa obter auxílio para mudar a situação.

 

Os vereadores reafirmaram para a população o desejo de fiscalizar e buscar melhorar o atendimento e a negativa da instituição para realizar as mudanças. Eles também frisaram que outras medidas serão tomadas e comunicadas para a população assim que novidades surgirem.

 

Assessoria da Câmra de Vereadores