Alerta para a prevenção e as estratégias para cuidar da saúde dos homens


Por Catanduvas Online

12/11/2018 16:10



img


Foto: Julio Cavalheiro/Secom



Não é uma questão de gênero, não é saber quem é o mais forte, quem é o mais frágil. Homens e mulheres precisam cuidar da saúde, mas novembro é o mês dedicado a tratar com mais ênfase da do sexo masculino. Desde 2008, a campanha “Novembro Azul”, instituída pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, alerta para a prevenção. Inicialmente voltada à temática do câncer de próstata, agora, além dela, o movimento vem quebrando paradigmas para aproximar os homens dos serviços de saúde, especialmente os de atenção básica para prevenir todo o tipo de problema em qualquer fase da vida.

 

Em Santa Catarina, a secretaria de Estado da Saúde (SES) ampliou as ações voltadas à saúde do homem durante o Novembro Azul. Com o slogan definido para a campanha “Homem, da infância à velhice, cuide de sua saúde, de novembro a novembro”, a SES trabalha dentro do que determinam os cinco eixos da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH), do Ministério da Saúde. Ampliar o número de cirurgias eletivas, especialmente as urológicas, também é uma das ações do Novembro Azul em Santa Catarina, segundo a superintendente de Planejamento e Gestão do SUS Grace Ella Berenhauser.

 

De acordo com Berenhauser, o foco é na qualidade do atendimento na Atenção Básica. “É importante que homem procure a unidade para cuidar da saúde em qualquer suspeita de uma doença mais grave. Além do câncer, existem outras doenças que matam ainda mais homens e que poderiam ser evitadas”, alerta.

 

Pelos levantamentos da PNAISH, é possível conhecer dados epidemiológicos de morbimortalidade (tipo de doença e a estatística de morte sobre uma população), causas externas, discutir meios de acesso e acolhimento, compreender os determinantes sociais e os aspectos culturais relacionados às masculinidades. Com essas informações, o desafio foi estabelecer melhores estratégias para acolher, prevenir e tratar doenças que afetam os homens.

 

Números em Santa Catarina

Segundo o IBGE, em 2018, a população do sexo masculino em Santa Catarina representa 49,6%. No Brasil, o percentual é de 48,9%. Deste total, 9,4 % têm 65 anos ou mais; 19,4% têm até 14 anos; 71,1% têm entre 15 e 64 anos.

 

De acordo com dados de 2017, a expectativa média de vida dos homens de Santa Catarina atinge os 75,8 anos. Estudos apontam que o homem vive em média sete anos a menos que a mulher. A cada três mortes de adulto, duas são de homens.

 

Causas de morte entre homens de todas as idades em SC

 

Relatórios da secretaria de Estado da Saúde, com base no Sistema de Informação de Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, apontam que as doenças do aparelho circulatório são as que mais matam homens, de todas as idades, em Santa Catarina. Em segundo aparecem as neoplasias e, em terceiro, causas externas (acidentes). 

 

Os acidentes, no entanto, representam a maior causa das mortes de homens adultos entre os 20 e 59 anos de idade. Estão incluídos acidentes de trânsito, acidentes de trabalho e lesões por violência. O segundo motivo de morte nesta faixa etária são as doenças do aparelho circulatório, seguida das neoplasias. 

 

Em 2017 foram registradas em Santa Catarina 22.685 mortes de homens entre todas as idades. Do total, das três causas mais comuns, 5.704 foram causadas por doenças circulatórias; 4.833 provocadas por tumores e 3.666 causadas por acidentes. Entre as neoplasias, o câncer que mais mata do gênero masculino, no estado, é o que envolve órgãos do sistema respiratório (891 mortes em 2016), seguido pelo de próstata (462 mortes em 2016) e de estômago (392 mortes em 2016). 

 

Assessoria