Enxurrada causa morte e destruição em Lacerdópolis


Por Catanduvas Online

10/10/2018 10:59



img


Casas alagadas, lojas tomadas por lama, ruas transformadas em rios, calçamentos arrancados, queda de barreiras, árvores caídas, bueiros entupidos e famílias desesperadas. A pequena e pacata cidade de Lacerdópolis, vizinha de Joaçaba, há menos de 20km, viveu no final da tarde desta terça-feira (09) uma situação de calamidade pública. A chuva que chegou por volta das 17h, de forma torrencial, e se estendeu até às 21h, provocou uma das maiores enxurradas dos últimos anos. “Eu morro aqui há mais de 50 anos e nunca vi nada igual a isso” relatou um senhor que assistia a movimentação embaixo de um guarda-chuva com olhos assustados.

 

A equipe de jornalismo da Rádio Catarinense se deslocou para o município por volta das 19h. No pórtico de entrada uma imensa fila de veículos em razão da SC, que corta o município, estar interditada em vários pontos. Nossa reportagem estacionou o veículo e saiu a pé pelo acostamento encontrando pelo caminho muita água, bueiro entupido e família com rodo, pá e vassouras na mão tentando limpar ou impedir que a água invadisse as casas. Na região da rodoviária, até próximo da delegacia, se formou um grande lago com a água chegando próximo de 2 metros. Parte da água que descia da região da gruta veio para a rodovia, arrastando pedras de calçamento, terra e entulhos, entupindo bueiros.

 

 

Mais adiante o ponto mais crítico. Na esquina principal do município, que dá acesso a prefeitura, um rio com uma corredeira forte empurrando tudo que vinha pela frente. Somente depois das 20h que os veículos conseguiam passar com alguma dificuldade. A água seguia e nas proximidades da prefeitura formava-se um novo lago, invadindo casas e lojas.

 

Morte


Uma senhora de aproximadamente 70 anos, que estava visitando familiares em Lacerdópolis, foi vítima da enxurrada. Veronice Radavelli, moradora do bairro São Jorge em Herval d’Oeste, estava na casa, na rua 31 de março, quando a água invadiu a residência, chegando a uma altura aproximada de um metro e meio. Com dificuldade de locomoção ela não conseguiu fugir. Um homem tentou ajudar, mas não obteve êxito e a senhora acabou indo a óbito.

 

Bairro Nossa Senhora Aparecida


Foi um dos bairros mais castigados em razão do lageado Nair transbordar. Várias residências foram invadidas pelas águas. Os moradores tiveram prejuízo de grande monta com muitos móveis e objetos destruídos. Eles relataram a reportagem da Rádio Catarinense que tudo aconteceu de forma muito rápida, não conseguindo salvar nada. Saíram correndo, levando apenas a roupa do corpo. Nossa reportagem encontrou na rua e nos terrenos objetos pessoais e até mesmo moveis arrastados pela força da correnteza.

 

Os prejuízos no município foram de elevada monta. Os levantamentos serão feitos na manhã desta quarta-feira. A área mais atingida foi a central, mas estragos de monta também foram registrados em comunidades do interior. O decreto de calamidade pública já está sendo encaminhado. A cidade ficou por muito tempo sem luz e sem comunicação via telefone.

 

 

ZORTÉA, CAPINZAL e OURO


Na mesma região, também houve estragos no município de Zortéa, Capinzal e Ouro. Por volta de 19h45, a Defesa Civil registrou que um córrego da cidade transbordou e houve inundação de várias casas localizadas em áreas de risco em Zortéa.  O município vizinho de Capinzal foi outro que registrou danos. Por volta das 19h30, um córrego na cidade também transbordou e a água invadiu casas e lojas no Centro. Os estragos foram causados por uma chuva de grande intensidade em um curto espaço de tempo, conforme a Defesa Civil, que faz o levantamento dos prejuízos. Já Campos Novos, aviários tiveram danos pelas fortes chuvas, levando a morte de aves. A chuva ocorreu por volta das 20h.

 

Por Marcelo Santos-Rádio Catarinense