Ganhador da Mega-Sena é preso em Vargem Bonita

A defesa do jovem ingressou com pedido de liberdade provisória junto ao Poder Judiciário


Por Catanduvas Online

20/07/2018 15:09



img


Catanduvas – Flavio Junior Biassi, 32 anos, um dos ganhadores do prêmio da Mega-Sena sorteado em 2007 e cujo dinheiro foi dividido somente em 2014 por determinação da Justiça, foi preso pela Polícia Civil nesta quinta-feira (19) no interior de Vargem Bonita.

 

Conforme o delegado da Comarca de Catanduvas, Flávio Gorla, havia uma investigação policial ocorrendo sendo que nesta quinta-feira, os policiais cumpriram mandado de busca na residência de Biassi onde foram encontradas, três espingardas, duas calibre 38 e uma calibre 12 (sendo duas sem registro), um revólver calibre 32 com cinco munições intactas, lunetas, 28 cápsulas deflagradas de calibre 38, quatro munições intactas de calibre 12, três cápsulas de calibre 12 deflagradas e um calibrador para arma calibre 32. Uma das armas foi encontrada na casa de um caseiro, porém, ele afirmou aos policiais que a arma pertencia à Biassi.

 

A defesa de Flavio Junior Biassi ingressou com pedido de liberdade provisória requerendo a soltura dele do presídio regional de Joaçaba.

 

Dr .Marco Antônio Vasconcelos Alencar, advogado de defesa, explicou que as armas eram usadas para defesa da propriedade, principalmente pelo fato dele ser ganhador da megasena. Muitas pessoas estranhas, segundo o advogado, rondavam a casa, e a família não se sentia segura de contar apenas com os órgãos de segurança pública.

 

O delegado Gorla informou que Biassi foi preso por porte e posse de arma de fogo e que somadas as penas passam de 04 anos, não sendo permitido nesse caso arbitrar fiança.

 

O delegado afirmou que Biassi também tem inúmeras passagens policiais pelos crimes de ameaça, lesão contra mulher, vias de fato, dirigir sob efeito de entorpecentes entre outras.

 

Caberá ao Poder Judiciário da Comarca de Catanduvas aceitar ou não o recurso. Caso não aceito o próximo passo será a tentativa de um Habeas-Corpus no Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ).