Delegado diz que Pizzolatti não teve escolta policial e nem foi levado à delegacia

Se Pizzolatti for considerado culpado de algum crime no acidente, ele pode ser condenado a penas de até três anos.


Por Catanduvas Online

21/12/2017 12:59



img


Flagrado com sinais de embriaguez após se envolver em um grave acidente de trânsito na rodovia SC-421 entre Blumenau e Pomerode nesta quarta-feira à tarde, o ex-deputado federal João Pizzolatti está solto, ainda não se apresentou na delegacia e nem é considerado foragido. Ele também não pode mais ser preso em flagrante, segundo o delegado da Polícia Civil de Blumenau Douglas Roberto de Cinque. 



Em entrevista ao repórter Eduardo Cristófoli, da NSC TV Blumenau, o delegado diz que até as 20h desta quarta não havia recebido a ocorrência da Polícia Militar Rodoviária (PMRv), que registrou o fato. Cinque esclareceu também que Pizzolatti não está preso pois não foi levado até a delegacia pela polícia. Conforme relato da PMRv, o ex-deputado foi encaminhado pelos bombeiros até o Hospital Santa Isabel sem nenhuma escolta e, na unidade de saúde, recusou tratamento e saiu com familiares. 

 

Embora não tenha se apresentado, o ex-deputado não é considerado um foragido pois a ocorrência nem chegou a ser registrada na Polícia Civil ainda. Caso ele se apresente, o delegado diz que um inquérito policial será instaurado e a investigação ocorrerá normalmente, com depoimentos dos envolvidos e apuração dos fatos. Se Pizzolatti for considerado culpado de algum crime no acidente, ele pode ser condenado a penas de até três anos. 



O delegado destaca ainda que o correto na situação envolvendo um motorista embriagado, como aparentava estar o ex-deputado, seria o encaminhamento ao hospital com escolta da polícia e, após os cuidados de saúde, levá-lo até a Central de Polícia para os procedimentos.

 

Fonte: DIÁRIO CATARINENSE