HUST implanta Ambulatório para Tratamento da Dor Oncológica


Por Catanduvas Online

15/02/2022 21:50



img


Os pacientes oncológicos que recebem tratamento no Hospital Universitário Santa Terezinha (HUST), em Joaçaba, têm um aliado quando o assunto é tratamento da dor. Na terça-feira (08) de fevereiro, foi implantado no local um Ambulatório de Dor Oncológica. O serviço tem como objetivo de melhorar as condições do tratamento e a qualidade de vida do paciente.



A ideia surgiu por meio do médico anestesiologista, especialista em dor, Dr. Breno Grossi, após uma conversa entre a equipe de médicos da Oncologia do Hospital e foi apoiada pela Direção.



— Visitei vários hospitais em grandes centros e todos tinham um ambulatório como esse. Então, por que não, o HUST, que é referência em Oncologia não dispor também? E foi a partir daí, que iniciaram as tratativas — comentou Dr. Breno.



Atualmente a Oncologia do HUST é referência para uma população de mais de 600 mil habitantes, das regiões do Alto Uruguai Catarinense, Alto Vale do Rio do Peixe e Meio-Oeste. São atendidas diversas patologias em várias especialidades, as mais frequentes são tumores de pele, tumores de mama e colo uterino nas mulheres e câncer de próstata nos homens. O serviço também faz atendimento em diversas outras áreas com cirurgia de cabeça e pescoço, coloproctologia, cirurgia do aparelho digestivo, neurocirurgia, além de tratamento de neoplasias hematológicas. O Ambulatório de Dor Oncológica atenderá todos os pacientes que forem encaminhados pelos médicos da Oncologia.



— O tratamento da dor oncológica é muito amplo, passando desde consultas de ajuste medicamentoso até procedimentos mais avançados. Queremos que o paciente possa canalizar seus esforços na recuperação da doença em si, e não precise sofrer com dores — ressaltou Dr. Breno.



O Diretor Geral do HUST, professor Alciomar Marin destaca que a implantação do Ambulatório é um marco importante no tratamento de pacientes oncológicos.



— Como afirma o Dr. Breno, este é um serviço oferecido somente em grandes centros, portanto, é um ganho para o hospital, para a população regional e principalmente para o paciente. Estamos procurando cada vez mais cumprir com nosso compromisso em prestar assistência humanizada, resolutiva e sustentável à promoção da vida — afirma Marin.

 


 ?>

 

Assessoria